segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Carta ao Pai Natal - Importante


Querido Pai Natal,


Escrevo-te nesta altura em que já deves ter menos trabalho (sendo nórdico de certeza que não deixaste tudo para a última). Sabes que há anos que não peço nada em especial, ainda que me consigas surpreender sempre com um fantástico equilíbrio (dinheiro de um lado, pijama de cetim cor-de-rosa XXL do outro). Peço-te agora um presente muito especial. No fundo não é para mim, é para vários. Ou melhor, é para mim porque ficarei muito feliz se o puderes conceder a outro. Preciso da tua ajuda e da luz que ilumina o focinho do Rodolfo. Preciso que encontres uma solução para o meu tio e para aquele indesejado que assombra a sua vida. Sabes o que o meu tio disse? Que trocava as voltas a todos. Espero que sim, que troque as voltas ao usurpador de saúde. Também me disse que não era nada fácil. Eu sei que não é. E preciso, preciso mesmo de ajuda. Se não puderes fazer nada, já que não és cirurgião, dá prendas de Natal fantásticas a todos os médicos e equipas de cirurgia para que comecem 2009 super motivados, cheios de vontade de vencer e viver. Dá-lhes saúde, amor, sei lá. Eu tenho para dar e vender, mas isso não chega para salvar o meu tio... eu tenho esperança que consigas iluminar o caminho de alguém e que este possa ajudar, pelo menos, a que estejamos todos bem ainda que com a presença do abelhudo.


Já agora, continua a trazer a saudinha de ferro para os meus avós, exactamente como tens trazido. A receita tem sido fantástica, a minha avozinha tem ido abaixo de vez em quando mas recebe uns pozinhos de perlimpimpim e Upa Pedro, como ela diz, e recupera.


Pai Natal, não te esqueças de mim. Espero não ter chegado atrasada.


Beijinhos,

Ana Cristina Amil


P.S. Se precisares de mais algum dado tenho o messenger quase sempre ligado.

P.S.2 Se conseguires dar-me o que pedi, não me importo receber um pijama XXL de veludo com rendinhas de todas as cores do arco-íris e até o uso!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

verdade!

Há pessoas que nos fazem questionar o sentido das nossas acções. Outras, questionar com que é que alguns perdem o seu tempo e porquê. Contudo, felizmente, há pessoas que o fazem para nos explicar o sentido da vida (a verde).

"Gostaria de conhecer A VERDADE?

Será que Deus realmente se importa connosco?
Será que eu realmente me importo com Deus?

A guerra e o sofrimento acabarão um dia?
Assim que o Elvis regressar.

O que acontece depois da morte?
Alguns são enterrados, outros cremados, outros colocados em valas comuns.

Há alguma esperança para os mortos?
Estão mortos? Precisam de esperança para quê?

O que preciso fazer para Deus ouvir as minhas orações?
Mudar de frequência.

Como posso encontrar a felicidade?
www.afelicidadeestaaqui.com"

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Candidatura a Apoios

Candidatura
Conhece ou pertence a alguma instituição de apoio a animais? Candidate-a aos Cabazes de Natal da Petmanias. Envie-nos um e-mail para respostas(at)petmanias(ponto)com até 24 de Outubro e diga porque deverá a sua sugestão ser a escolhida.

Como funciona
Tal como aconteceu na Páscoa, a Petmanias vai criar dois cabazes para oferecer ajuda a duas instituições de apoio a animais. Para contribuir basta escolher um montante ou um produto do nosso site e indicar a que cabaz se destina. Se tiver produtos em casa que os seus animais adicione-os ao cabaz!

Exemplo

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Something I said?..

Não é que eu não queira que a menina seja feliz com quem quer que seja... mas o que é que isso tem a ver com os cavaletes para a minha mesa?

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Se eu te visse..

Não gosto nada quando as pessoas resolvem virar invisíveis e têm a atitude de completa disponibilidade. Não me importo de ficar N tempo sem falar com determinada pessoa, há relações que são mais saudáveis assim até. Quando nos encontramos falamos a sério, não deixámos de nos conhecer. Agora fazer de conta que são muito participativas, acessíveis e interessadas quando são completamente o oposto, leva-me à indiferença sobre qualquer contacto que possa vir a ser estabelecido futuramente.
Vai ver se eu estou na esquina, vais?

terça-feira, 29 de julho de 2008

Internet à pala é sempre bom!

A cidade de Mourão tem a amabilidade de ter internet gratuita disponível (assim como outras zonas do Distrito de Évora), o que me deu imenso jeito, para além de me permitir gozar ainda melhor o Jardim Municipal!

É de mim?

Luís Delgado vai deixar a presidência do Conselho de Administração do Hospital de Aveiro, no próximo mês de Setembro (...). A decisão de não renovar o mandato de Luís Delgado pertenceu ao Ministério da Saúde, que justificou a decisão com os resultados “negativos” obtidos pelo administrador nos últimos três anos, segundo apurou o JN. Luís Delgado vai integrar a administração do Hospital de Santo António, no Porto (...).”

in JN, 15 de Julho 2008

 

Será que vai fazer um estágio para melhorar as suas competências profissionais?...

Hmmm... será que se eu fosse afastada de um cargo por maus resultados, me arranjariam um lugar num posto semelhante?

terça-feira, 22 de julho de 2008

Soul Mates

Há pessoas que definitivamente não aparecem na nossa vida por acaso.
Há pessoas que por vezes nos passam ao lado, que não sabemos aproveitar. Eu tenho a sorte e o privilégio de ter química com gente muito interessante. Química é uma palavra que assusta a muitos. Aiiii que se só pode ter olhos para uma pessoa! Não, chamemos as coisas pelos nomes. Há pessoas com quem tenho verdadeiro prazer a conversar, a disparar e disparatar palavras. Há uma clara partilha de qualquer coisa e fico contente de ter a sobriedade suficiente para o poder gozar. Se calhar estou a ser presunçosa ou simplesmente vivo na bolinha mágica que normalmente atribuem aos Peixes e mais ninguém sente isto.

São amigos. Amigos. Ligações tão prazenteiras que me fazem ter mais cuidado e carinho com os seus alvos do que com muito boa gente com quem lido com frequência, ainda que aquelas apenas se baseiem num contacto anual.

São paixões platónicas. Aiii paixões, tanto medo! Há muitas maneiras de estar apaixonada. Pela vida, pelos animais, pel'O Tal... Nestas relações, num plano superior e que muitas fazes me fazem sentir numa realidade paralela (fui dar ali uma voltinha e volto já mais quente por dentro) tudo gira e passa ao lado. Assim mesmo, intemporal.

Fico mesmo contente por poder reconhecer isto tudo. E mais? Se alguém achar que sou uma vadia, olhe, arranje-se! Coisa feia, a inveja!


P.S. Tenho outro tipo de pessoas igualmente grandiosas na minha vida, com outra química e que interferem naquilo que sou de maneira poderosa e não são menos valiosas por não encaixarem no tema deste post ;)

domingo, 6 de julho de 2008

Yes, dear?...

Era dia de festa e fazia-se notar o cuidado da associação da cor da gravata com a indumentária da respectiva companhia. Já tinha ouvido falar, mas ver tal tão presente era a primeira vez.As tradições fizeram-me alguma confusão, a nova moda de os convidados irem dar uma curvinha ao bilhar grande e só voltarem para os comes da noite tem muito que se lhe diga. Fico feliz pelas senhoras, que nesta altura apresentam roupas mais confortáveis e sapatos prontos a rodopiar ao som de umas notas meias tontas perdidas numa pauta. Venha mais vinho e comida para os senhores e estamos todos felizes.Ela e ele foram dos que decidiram ir dar a tal curva. Ela, sempre cuidada ao milímetro (que a natureza não lhe deu traços para que pudesse dar ao luxo de não o fazer) regressou com outro vestido de cerimónia, preto (adequado à hora), com um recorte invulgar e atrevido.Comentei que a gravata dele tinha deixado de combinar com o vestido dela. Riram-se e ela fez-me reparar que os tons da maquilhagem e das unhas mantinham a ligação. Ele, a muitos milímetros de distância da imagem dela, e cuja voz não se tinha sentido praticamente o dia todo, fez-se ouvir com a mesma rapidez de uma rolha a saltar de uma garrafa de champanhe: "combina com as tuas cuecas". A mão dela aterrou na cara dele a igual velocidade acompanhado dum "parvo", fazendo ambas as bochechas, as dela e as dele, ficarem no mesmo tom. Os sorrisos envergonhados dela faziam adivinhar que ele não se voltaria a sentir o resto da noite.

Noite de S. João

Não espero que quem nunca tenha vindo ao S. João perceba. Muitos que dizem ter festejado não tiveram sequer um vislumbre do espírito.
Li algures que a tradição do martelo do S. João estava ligada à resolução de quezílias entre os portuenses. Hoje os martelos são de plástico e ninguém lhes tira o lugar.
A ideia de conseguir sorrisos sinceros de forma natural com simples "pancadinhas", guerras de marteladas ou toca-e-foge com pessoas que nunca vimos na vida é, para mim, surreal. É mágico. É ter os limites completamente alterados, regras de comportamento e barreiras da sociedade longe, muito longe de nós, ter o ambiente preenchido de vontade de brincar, de conviver, de partilhar. É bom, é muito bom - ainda que seja só uma noite por ano - sermos mais nós, permitir que nos roubem risos e que nos martelem a cabeça à e com vontade!

segunda-feira, 23 de junho de 2008

S. João dá cá um balão para eu vooaaar!

O S. João é o meu dia favorito. Venham as farturas, os balões no céu, os foguetes, o cheiro a sardinhas e a interminável melodia dos martelinhos. Venha ainda o mangerico com a quadra típica do costume. Mais picantes ou menos imaginativas, festa é festa. Mas oh senhores, ter esta coisa numa montra de um restaurante arrasa contudo...

"Viver num bairro de lata,
Que excelência em S. João!
Do casebre, fiz cascata,
Dos filhos - figuração!"

i'm back

Este blog esteve para regressar à vida várias vezes, com datas marcadas e tudo.
Dia 1 de Maio. Dia em que começou oficialmente a minha maratona em Itália e dos dias mais difíceis que já tive. Em 2007, diga-se.
Em Maio voltei a Itália, exorcizar fantasmas e terminar o fantástico percurso de Cinqueterre. Pensava eu que ia fechar um ciclo mas, aprendi o óbvio, só estava a começar um novo.
Fosse por ter passado 3 horas a fazer algo que já não fazia há anos - desenhar - no chão de um museu onde não passei do pátio da entrada, fosse por ter cumprido a vontade do Povo e ter visto o Papa em Roma. Seja como for, ali tive dos pensamentos mais claros e sóbrios sobre a minha pessoa.

E àquela terra - Itália - havia de voltar semanas depois no contexto da Bienal Internacional de Jovens Criadores da Europa e do Mediterrâneo. Caixa partida à parte, foi muito bom poder conhecer tanta gente interessante, ter conversas tão ricas e variadas que tendo chegado sem conhecer ninguém partiu-se já com saudades. Foi muito bom conversar por conversar, apanhar comboios e daqui vai disto!, sentir parte dum todo com muita qualidade como era a delegação portuguesa. Voltei a acreditar na arte, no seu poder, em objectivos e nas pessoas à sua volta. Acordei para o valor do que temos cá na terrinha (ainda que nem todos o tenham feito) e com vontade de meter mãos à obra. Por fim descobri que a minha caixa para transportar orgãos ainda tem muito para andar!

Ainda que as coisas não comecem da melhor maneira, isso não quer dizer que não se mostrem grandes! Foi mais uma lição...

domingo, 16 de março de 2008

Olhó bacalhau!

Felizmente há umas quantas coisas na vida que me dão prazer. Outros de tal não se poderão orgulhar, mas eu faço a festa por mim e por eles.
Tenho muito gosto em pertencer ao grupo Merendola - apesar de sermos bons garfos, somos independentes do restaurante. Ontem foi mais um encontro.
É bom poder falar com pessoas diferentes com opiniões diferentes, num ambiente estável e bem acompanhado por comidinha boa.
É sobretudo bom estar com pessoas sem medo de serem quem são e de assumirem os seus defeitos/feitios "Eu sou muito expansiva e muita gente não entende muito bem isso" ou qualquer coisa similar.
É bom não sermos julgados pela nossa idade, digo eu que sou a "miúda" do grupo, e gostarmos todos de maçãs. Não dessas, das outras. Bem, dessas e das outras.
Faltou a personagem que nos uniu, o cozinheiro do cheesecake e o colorido.
Virão mais oportunidades. Para já, estou quente por dentro.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Eu é mais bolos....

Já que estamos numa de gula aqui vai um bolo fenomenal que encontrei no blog da dina.
Ela faz uns bolos fantásticos e tenho imensa pena que ela seja de longe e não faça entregas Porto...


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Parabéns Patricia!

Sei que vai um pouco em "ritardo" mas aqui ficam os parabéns "a la Mac"!
Faltam só mesmo umas velinhas não só para soprares mas também para manter acesa a esperança de que o teu bolo volte rapidamente do outro mundo.



Para verem mais fotos deste fantástico concurso de bolos, espreitem aqui

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Uma por ano - 83-85

Custou mas cheguei. Aos 8 meses (mais coisa menos coisa) je decidiu parar de crescer. Não saio não saio e não saio. E saí que não tive outro remédio.
Dia 1 do 3 de 1983 às 3.30 da tarde cheguei para alegrar o mundo (ou não...).

Aqui estou eu, em pleno centro do Porto, num raro momento da minha infancia: eu a comer!
1984
Esta é de 1985 com as devidas reservas... (vou ver se arranjo outra)


A minha primeira grande viagem: Londres, Oxford Street, 1986

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

*Suspiro*

Estava eu a arrumar alguns cadernos dos tempos do curso, quando não resisti à curiosidade e folheei logo o primeiro. Encontrei alguns "apanhados" que registei numa conferência dada por um conhecido Chefe de cozinha português...

"O prazer está na boca"

"É muito simples: faz-se o coelho assado depois de morto"

"É azeite puro da azeitona da oliveira"

"... vêm aqueles pais patetas, com filhos patetas - porque quando os pais são patetas transmitem aos filhos patetas a patetice..."

"Não transmitam a patetice aos vossos filhos"

"... isto é para preparar a boquinha, é como no acto de amar que se começa com preliminares e passa-se à fase de penetração, e no fim coça a cabeça..."